SEBRAE RJ

Grandes Empreendimentos

Imagem de título do setor Grandes Empreendimentos
23 de agosto de 2021

A ECONOMIA DO MAR NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia este artigo elaborado pelo assessor de análise de negócios da Emgepron e colaborador do Cluster Tecnológico Naval do Rio de Janeiro, que aborda a importância da participação das atividades econômicas relacionadas ao mar, a influência do mar no Estado do Rio de Janeiro e como essas características únicas se privilegiam de forma proeminente.

A ECONOMIA DO MAR NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

O Brasil é claramente uma nação marítima já na sua concepção, que teve grande contribuição dos portugueses que conquistaram nossas terras de recursos naturais abundantes, mas também outros povos que aqui tentaram estabelecer suas colônias, sem sucesso, após atravessarem oceanos e mares.

A cobiça desses povos estende-se ao longo de toda a história do país, manifestando-se de diversas formas, dada a diversidade das riquezas e vastidão das suas águas, na chamada Zona Econômica Exclusiva (ZEE), que abrange uma área de cerca de 5,7 milhões de km2, conformando a nossa Amazônia Azul®.

Oportunidades de negócios oferecidas por essas águas

Uma infinidade de oportunidades de negócios oferecidas por essas águas, associado ao fenômeno da globalização que conecta o país aos grandes mercados globais, evidenciam a relevância do mar para a economia brasileira, uma vez que mais de 90% do comércio exterior flui por vias marítimas, além de 99% das comunicações trafegarem por essa massa líquida, utilizando cabos submarinos.

A OCDE vislumbra um incremento de cerca de 40 milhões de empregos diretos no setor marítimo entre 2010 e 2030, eminentemente, alavancado pelo turismo costeiro e náutico, bem como na indústria pesqueira. Ademais, ainda estima que o tráfego de cargas triplicará até meados do século XXI.

A importância da participação das atividades econômicas relacionadas ao mar traduz-se na transversalidade que apresenta com os mais diversos setores econômicos. Assim pode-se entender a “Economia do Mar” como “a área da ciência econômica responsável por identificar e mensurar os setores econômicos direta ou indiretamente relacionados aos recursos e atividades provenientes e destinadas ao mar”.

A influência do mar no Estado do Rio de Janeiro e as suas conexões

Ao longo dos mais de 9.000 km de extensão da costa brasileira podem ser observadas as mais diversas atividades econômicas e seus desdobramentos no território nacional. Contudo, o litoral do Estado do Rio de Janeiro é privilegiado, tanto pela sua história, quanto pela sua geografia, com reentrâncias, baías e ilhas costeiras.

Além disso, ao longo do seu litoral, encontra-se uma enorme riqueza de recursos vivos e não-vivos, notadamente, o petróleo da camada do pré-sal. Nesse litoral estão situados 25 municípios que concentram 5,7% da população brasileira e 3,3 milhões de empregos. Cabe ainda ressaltar que, o Estado do Rio de Janeiro é o segundo em participação do PIB nacional (10,2%) e o terceiro em população (7,6%).

Portanto, o Estado do Rio de Janeiro, principalmente sua capital, apresenta todas caraterísticas do fenômeno da economia de aglomeração nas áreas metropolitanas, proporcionado claramente pela influência do mar. A Cidade do Rio de Janeiro, em particular tem diversas influências históricas, foi capital do Império e da República, cenário de diversos eventos históricos importantes para o país.

Cabe ressaltar que a construção do galeão português “Padre Eterno” no século XVII, considerado por muitos historiadores como o maior do mundo ocidental (na região que recebeu o nome do feito como a “Ponta do Galeão”) com uma enorme mobilização de recursos de mão-de-obra e de insumos. Esse evento, por si só, já demonstra a importância do papel da construção naval para a cidade, que também abriga o maior estaleiro militar da América do Sul e movimenta a sua economia regional.

A importância do mapeamento atividades econômicas relacionadas ao mar

Mas, o Rio de Janeiro é uma cidade internacional, conhecida no mundo inteiro pelo Cristo Redentor que se apresenta de braços abertos para Baía de Guanabara, dando as boas-vindas àqueles que adentram um dos principais portos do país. Até mesmo a famosa Praia de Copacabana conecta à cidade ao mundo pelo mar.

Tudo isso remete à necessidade de mapear os setores e respectivas atividades econômicas relacionadas ao mar, de modo a dimensionar as suas reais participações na economia nacional, bem como dos impactos de seus efeitos multiplicadores, na economia do Estado, ou mesmo da Cidade do Rio de Janeiro, nas denominadas “contas do mar”. Uma vez identificada essa dimensão, será possível estabelecer políticas públicas mais consistentes e eficientes destinadas a um desenvolvimento econômico e social sustentável a partir do mar.

A concentração de significativas atividades econômicas no entorno da Baía da Guanabara e adjacências, em grande medida, como fruto da conturbação entre as Cidades do Rio de Janeiro e Niterói, consolidam um importante polo para a economia do Mar do país. Da mesma forma que, na região de Itaguaí, onde o Porto de Sepetiba desenvolve atividades estratégicas para o país, também pode ser encontrado outro importante estaleiro militar, no qual é conduzido o Programa de Desenvolvimento de Submarinos pela Marinha do Brasil (MB) desde 2008, com investimentos de cerca de R$ 30 bilhões ao longo de 20 anos, inclusive com a construção de um submarino de propulsão nuclear.

Assim, o Estado do Rio de Janeiro reúne características únicas, que privilegiam, de forma mais proeminente, atividades econômicas relacionadas à:

  • Construção e reparação naval;
  • Serviços marítimos;
  • Exploração e explotação de recursos vivos e não vivos do mar;
  • Defesa e segurança;
  • Turismo costeiro, esporte e lazer náuticos;
  • Descomissionamento/desmantelamento de plataformas e Reciclagem de navios (enorme potencial para estas atividades).

Todas essas atividades podem obter uma maior sinergia, a partir de uma melhor interação de órgãos governamentais, empresas e instituições acadêmicas e de pesquisa, permitindo que soluções inovadoras possam ser apresentadas para problemas estruturais e complexos encontrados naquela região, que podem se reverter em melhor qualidade de vida, emprego e renda para a sociedade.


Sobre o autor deste artigo:

ANDRÉ GABRIEL SOCHACZEWSKI

Capitão de Mar e Guerra da Reserva da Marinha do Brasil, Mestre em Ciências Navais (Escola de Guerra Naval) e Master of Arts em Estudos de Defesa (King’s College London), Assessor para análise de negócios da EMGEPRON e colaborador do Cluster Tecnológico Naval do Rio de Janeiro.

Fonte:
Rio Oportunidades de Negócios
Autor:
André G. Sochaczewski - Assessor de análise de negócios da Emgepron e colaborador do Cluster Tecnológico Naval do Rio de Janeiro
Publicado em:
23 de agosto de 2021

Você também vai gostar de ler