SEBRAE RJ

Compras Governamentais

Imagem de título do setor Compras Governamentais
8 de novembro de 2018

MACAÉ RECEBE AUTORIZAÇÃO PARA PRIVATIZAR SEU AEROPORTO ENQUANTO PREPARA AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA O TEPOR

O presidente Michel Temer autorizou a aprovação da concessão de aeroportos em todo o país, entre eles o Aeroporto de Macaé.

MACAÉ RECEBE AUTORIZAÇÃO PARA PRIVATIZAR SEU AEROPORTO ENQUANTO PREPARA AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA O TEPOR

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União com a aprovação para a concessão como modalidade operacional de exploração pelos próximos 30 anos. Intitulado Programa Nacional de Desestatização (PND) dos aeroportos faz parte do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), e já estava previsto na legislação desde 2017, mas o curto espaço de tempo devido ao ano eleitoral preocupava a Prefeitura de Macaé. Mesmo assim, o governo municipal conseguiu se articular junto aos governos federal e estadual do Rio para agilizar o processo, bem como para manter o aeroporto dentro do bloco Sudeste, mesmo com as críticas do Governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, já que o Aeroporto de Vitória encabeça o bloco.

Os blocos serão parte fundamental dos processos de concessões, que, na prática, se darão através deles, com “pacotes” de aeroportos divididos nos blocos Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, afetando mais de 7 milhões de passageiros. Com a injeção de capital privado e a consequente revitalização, ampliação e modernização dos aeroportos, a expectativa é de que o processo já comece a gerar milhares de empregos em 2019. Com a informação, Macaé, que acompanha de perto o processo de licenciamento para as obras do novo Terminal Portuário (Tepor), encaminha mais uma solução para o que vinha sendo considerado um tripé dos problemas logísticos do município (aeroporto, porto e BR-101).A audiência Pública para o EPOR será realizada nesta quarta-feira, dia 7, às 19 horas.

O Aeroporto de Macaé, que passa por obras de reforma da pista de pouso e decolagem, não recebe voos comerciais de passageiros desde 2015, quando a então concessionária Azul Linhas Aéreas, anunciou a retirada das aeronaves ATR 42 e a troca pelos modelos ATR 72, maiores e com capacidade superior de transporte de passageiros, mas que eram consideradas pesadas demais para a pista do aeroporto. Com as obras que estão sendo realizadas no aeroporto, que têm previsão de entrega para a metade de 2019, a expectativa é de que os modelos ATR 72 já possam voltar trafegar pelo aeroporto, e com o andamento da concessão, uma nova reforma da pista seria necessária para que o aeroporto possa receber aeronaves maiores, como a Airbus A310 e Boeing 737, usadas, inclusive, na ponte aérea Rio-São Paulo. A expectativa agora é de que, com as conquistas tanto do novo porto quanto do novo aeroporto, o município se torne ainda mais atrativo para a indústria do petróleo, recuperando e até ampliando seu protagonismo no setor que vive momento de retomada de suas atividades depois da crise internacional de 2014.

Fonte:
PETRONOTICIAS
Autor:
PETRONOTICIAS
Publicado em:
8 de novembro de 2018

Você também vai gostar de ler